Fast Fast Forward

A perspectiva do piloto sobre os riscos da aviação

A Pilot’s Perspective on Aviation Risk

Por milhares de anos, os seres humanos têm sonhado com a capacidade de voar e tem lutado para alcançar esse feito, com sucesso variável. Como piloto e também como profissional da área de seguros, consigo entender tanto o desejo de romper os laços com a Terra quanto os riscos inerentes ao vôo.

Na mitologia grega, Ícaro e seu pai Dédalo usaram asas feitas de penas e cera para escapar da prisão na ilha de Creta. Mas Ícaro se empolgou, ignorou as advertências de seu pai para não voar muito alto ou muito baixo e terminou fatalmente caindo no mar. Ou seja, Ícaro negligenciou os riscos.

Voar é , de fato, uma descarga de adrenalina, mas também serve como um ponto de referência muito útil para avaliação e gestão de riscos. O que poderia ser ao mesmo tempo mais arriscado e mais gratificante do que ficar a milhares de metros do chão e pousar de volta com segurança?  Voar com segurança requer um planejamento cuidadoso. Assim como são treinados para fazer, os pilotos inspecionam tanto seu avião como seu plano de vôo. E isso é uma boa prática para qualquer organização.

Tenho lidado com a aviação durante toda minha vida, então era natural que eu me interessasse em me tornar um piloto. Meu pai foi um engenheiro aeroespacial que ajudou a desenvolver o foguete Saturno V, que lançou as missões lunares na década de 1960. Muitos dos meus parentes eram pilotos ou trabalhavam no setor de aviação. Conseguir combinar meu amor pelo vôo com minha longa carreira em seguros e gestão de risco foi um sonho que se tornou realidade.

Entender o que está acontecendo no cockpit e no chão é fundamental para os aviadores e para os subscritores que os seguram. Estou orgulhoso que a maioria dos subscritores de aviação do XL  Group são pilotos com experiência comercial ou militar, ou trabalharam como mecânicos de aviação. Essa experiência lhes dá uma vantagem distinta na avaliação dos riscos das companhias aéreas aos fabricantes de produtos de aviação, passando pela aviação geral.

Quando eles olham para os riscos de subscrever – ou declinar – nossa equipe de aviação aplica o conhecimento de sua própria experiência. Aqui estão algumas das maneiras que a nossa equipe pensa sobre os risco da aviação.

Riscos da aviação – Muitas pessoas tem medo de voar, mas o fato é que um vôo comercial é hoje mais seguro do que praticamente todos os outros  meios de transporte combinados.

De acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo, foram 36,4 milhões de vôos comerciais em 2013, transportando mais de 3,1 bilhões de passageiros. No entanto, o número de mortes em 2013 provenientes de acidentes de aviação foi de apenas 210.

Voar é mais seguro hoje para pilotos e passageiros. A IATA informou que a taxa de acidentes que envolvam qualquer tipo de aeronave em 2013 foi de 1,57 por milhão de vôos, e apenas 1,49 por milhão de vôos, na média entre 2009 e 2013.

Quando olhamos para os riscos de companhias aéreas, encontramos diferentes níveis. Por exemplo, as frotas das companhias aéreas são diferentes. Alguns têm aeronaves de fuselagem larga, enquanto outros têm jatos menores e regionais. Os valores da frota pode variar muito também. Por exemplo, o Airbus A380 e o Boeing 777 são aeronaves de valor muito alto, enquanto um Boeing 737 ou McDonnell Douglas MD-88 custam significativamente menos.

Analisamos também a receita por milha por passageiro, as localidades geográficas que as empresas atendem e o histórico de perdas. Neste último item, levamos em conta acidentes e perdas de atrito, ou danos incidentais, ocorridos no hangar (hangar rash) ou ainda pontas de asa batidas.

Na aviação geral, um importante fator de risco é a experiência do piloto com o tipo de aeronave que ele ou ela está voando, assim como a área onde a aeronave está voando. Por exemplo, um piloto privado que opera em Iowa implica em um tipo de risco diferente daquele apresentado por esse mesmo piloto voando no espaço aéreo lotado de Nova York ou New Jersey.

Uma questão-chave para todos os nossos subscritores quando se trata de avaliar os riscos da aviação é "Eu poderia entrar nesse avião com este piloto?"

Eu voei cerca de 150.000 milhas como passageiro no ano passado. Isso me dá menos tempo no cockpit como piloto, mas é muito tempo para pensar sobre os riscos da aviação.

Sempre pense adiante – Uma das coisas que as empresas em todos os lugares podem aprender com os pilotos é o planejamento de contingência. Quando você pilota um avião, você sempre tem que estar pensando à frente. "O que eu faria se ... X ... acontecer?" é uma pergunta que cada piloto faz a si mesmo ou a si mesma. Os planos de vôo, bem como planos de negócios, exigem respostas pensadas para questões  como:

1. Qual é o destino?
2. Existe um ponto de pouso predeterminado, mas quais são as alternativas se as condições climáticas mudarem?
3. Com base no consumo de combustível e velocidade do ar, você pode chegar onde você pretende ir?
4. Você deve prosseguir com a sua decolagem prevista ou adiá-la?

Um bom piloto sempre se mantém no controle do avião ao pensar sobre o que fazer se vários cenários acontecerem. Antecipar e planejar para essas possibilidades facilita as respostas adequadas.

Como em qualquer setor, acidentes e percalços acontecem. Eu estive a bordo de aviões que perderam energia, cuja decolagem foi abortada devido a um mau funcionamento do equipamento ou que danificaram uma roda durante o pouso. Felizmente, nenhum deles teve consequências graves.

Quando incidentes acontecem a bordo, geralmente há uma série de questões, em vez de um determinado fator que dá errado.

Os pilotos contam hoje com a tecnologia mais avançada já desenvolvida, com sistemas automatizados que lidam com a maioria das funções a bordo, mas eles ainda têm de contar com sua formação e pilotar o avião.

As empresas devem fazer o mesmo. A tecnologia pode ajudar a manter os executivos informados e tomar melhores decisões, mas eles ainda precisam dirigir suas organizações para superar condições de mercado imprevisíveis, respondendo aos riscos e chegar ao seu destino desejado.

Clique aqui para saber mais.

Copyright 1996-2017  XL Group Ltd All Rights Reserved

XL usa duas formas de cookies neste site:

  1. para permitir que o site funcione e memorize suas preferências; e
  2. para estatísticas que tornam o site mais relevante e fácil de usar.

Esses cookies não armazenam informações pessoais. Para mais informações sobre o uso de cookies em nosso site, por favor clique aqui. De acordo com a legislação da União Europeia, você deve consentir com o uso de cookies.

Ao usar este site, você concorda com a instalação de cookies em seu aparelho. Se você optar por mudar suas configurações de cookies, você verá esta mesma mensagem em sua próxima visita.